Conheça 4 curtas de ficção científica equatorianos

Por

(Publicado originalmente en revista digital Antimatéria, Brasil, el 10/07/2015)

Isabella Furtado. Formada em Produção Editorial e grafiteira das paredes de seu próprio quarto nas horas vagas. Descobriu a ficção científica quando tinha 12 anos e desde então, não conseguiu mais largar.

∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞∞

Até alguns anos atrás, o quadro da produção cinematográfica do Equador parecia uma distopia cultural: em 2007 foi contabilizado uma única produção audiovisual nacional que chegou às grandes telas de cinema do país. Com esses dados em mente, o governo de Rafael Correa (atual presidente do Equador) passou a disponibilizar auxílio estatal para produções audiovisuais e ano passado (2014), esse número aumentou para 14 longas metragem.

É importante ressaltar que não é porque só um filme alcançou as telas de cinema que somente ele foi produzido durante esse período. Em contramão a esse número reduzido de grandes produções é possível encontrar centenas de curtas metragens feitos por jovens estudantes de cinema, disponíveis na íntegra no YouTube. E – para a nossa felicidade – muitos desses curtas, são de ficção científica. Animações, dramas, comédias, suspenses, mundos pós-apocalípticos, distopias, excesso de segurança e controle social são técnicas e temas recorrentes dessa produção. O gênero da ficção científica é tão marcante no país que um de seus diretores de maior destaque internacional, Sebastián Cordero, dirigiu o filme hollywoodiano “Europa Report” (2013).

Apresentamos quatro curtas interessantíssimos do gênero no Equador e, no final do post, confira uma lista com mais produções disponíveis no YouTube:

  1. BROTE SUBVERSIVO (Fabio Ferro, 2004)

Este é um dos primeiros curtas animados de ficção científica equatoriano. Em 10 minutos, conhecemos um futuro dominado por máquinas e robôs, hiper policiado, onde a natureza foi abolida. De repente, uma margarida nasce ao meio das rochas e da poluição atraindo a sensibilidade e sentimento de proteção de um robô civil.

  1. 2045: CLONES EN QUITO (Fabricio Maldonado, 2012)

Mostrando como tema principal a manipulação genética como forma de controle social, o curta nos leva a 2045, diretamente para a vida de um estudante de genética que, em nome da produtividade da cadeia industrial, descobre como criar clones humanos desalmados.

  1. KUBA CON K (Francisco Valdiviezo, 2013)

Este ensaio-documental tem uma dose de anarquia e utopia, ao mostrar uma Cuba nos anos 4000 que superou o embargo econômico com a positividade do povo. A alegria, coletividade, partilhas justas, brincadeiras e a força de expressão dos cubanos, se posiciona contra os maiores vícios do capitalismo: o consumismo materialista e a destruição do meio ambiente.

  1. MOMIS (Álex Chasiguano, 2013)

Um dos curtas com maior investimento em recursos digitais, Momis propõe uma releitura do pós-industrialismo. Em 2050, os jovens enfrentam uma crise trabalhista por não conseguirem impor suas identidades e vontades no meio profissional.

Confira outros curtas de ficção científica equatorianos:

2013 (Santiago Soto, 2006) |  Silencio nuclear (Iván Mora, 2008) | Siete ciudades de Meteora (Nicholas Hogan, 2009) | El hombre (Wilmer Pozo Sánchez, 2010) | La caverna (Sebastián Cordero, 2013) | El escuchatorio (Matías Kykendall, 2013)

Via Amazing Stories Magazine


Este post foi baseado no artigo “El Cortometraje de Ciencia Ficcíon en Ecuador” escrito por Iván Rodrigo Mendizábal. Iván é colaborador fixo da Amazing Stories Magazine e mantém o blog Ciencia Ficcíon en Ecuador.

Anuncios

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s